Introdução e Objetivo para criação dos índices

 

Com o contrato de parceria celebrado entre a Neotrust e a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (câmara-e.net), em junho de 2019, foi criado um estudo de métricas com objetivo de desenvolver índices e indicadores econômicos que permitam acompanhar o desempenho do consumo pessoal de produtos e serviços comercializados no mercado online, além de ser pioneiro e referência, como parâmetro principal, no monitoramento do sistema do comércio online no Brasil.​

O estudo é utilizado como referência mensal e oficial para o monitoramento de índices e indicadores financeiros/econômicos para o governo, empresas, entidades, imprensa e qualquer outro interessado em dados sobre o e-commerce brasileiro, além de servir de referência para formulação de políticas públicas no Brasil.

Dados e Métodos

 

Seguindo uma metodologia confiável com dados provenientes de vendas, é utilizada uma base de registros de vendas declaradas pelas lojas que constituem o comércio varejista online brasileiro, e mantém integração direta com a ClearSale ou com a Neotrust. Os dados não são provenientes de pesquisas ou amostras probabilísticas.

 

O universo de lojas que compõem as informações da Neotrust é constituído por pequenos, médios e grandes varejistas, tais como: B2W, Via Varejo, Magazine Luiza, Dafiti, Centauro, FastShop, Carrefour, Pão de Açúcar, Kabum, Época Cosméticos, Beleza na Web, Drogaria São Paulo, Ultrafarma, Petlove, Cobasi, entre outras.

Adicionalmente, a partir de modelos estatísticos com base em fontes secundárias de empresas parceiras e plataformas de e-commerce, a Neotrust estima o volume de vendas comercializados pelas lojas adicionais para composição do mercado online brasileiro (incluindo a estimativa de lojas longtail). A metodologia foi criada pelos especialistas da Neotrust e reserva o direito autoral.

 

Para o cálculo dos índices e indicadores, não foram considerados os registros de vendas de passagens aéreas, hotéis, classificados, aplicativos para refeições ou locomoção, serviços de streaming, cross border, além do site Mercado Livre e outras empresas que comercializam produtos usados ou de artesanato, por exemplo, Elo7 e Enjoei.

 

Os Índices de Vendas, Faturamento e Tíquete Médio, constituem-se numa medida síntese do movimento do comércio online do consumo de um conjunto de bens e serviços, chamado "cesta de mercadorias", representativo de um determinado grupo populacional, em um certo período de tempo.

O Relatório de Índices, divulgado mensalmente para cada região e Brasil, separadamente, traz informações sobre o índice de base fixa, variações no mês, em 12 meses, no acumulado no ano e no acumulado nos últimos 12 meses  , possibilitando, assim, um estudo comparativo entre diversos períodos. A série completa dos índices (série encadeada) tem como período de referência o ano de 2017, ou seja, é o ano para o qual o índice é igual a 100.

A divulgação dos índices com base nas métricas de volume de vendas (em quantidades), receita (vendas em valor – R$) e tíquete médio (em R$), aparece nas seguintes visões:

  • Índice de base fixa: compara os níveis de volume de vendas, receita e tíquete médio online do mês com a média mensal obtida no ano de 2017;

 

  • Índice mês/mês anterior: compara os índices de volume de vendas, receita e tíquete médio online do mês com os obtidos no mês imediatamente anterior.  ;

 

  • Índice mês/igual mês do ano anterior: compara os índices de volume de vendas, receita e tíquete médio online do mês de referência com os obtidos em igual mês do ano anterior;

 

  • Índice acumulado no ano: compara os índices acumulados de volume de vendas, receita e tíquete médio online de janeiro até o mês de referência com os de igual período do ano anterior;

 

  • Índice acumulado de 12 meses: compara os índices acumulados de volume de vendas, receita e tíquete médio online dos últimos 12 meses com os de igual período imediatamente anterior;

Além desses índices, outros indicadores foram criados para complementar a visão do varejo online:

- Penetração dos consumidores: compara a quantidade de internautas que realizaram, no mínimo, 1 compra online nos últimos 3 meses, em relação ao total de internautas do Brasil;

 

- Participação do E-Commerce no Varejo Restrito² e Varejo Ampliado³:  é a proporção de receita mensal de vendas do e-commerce sobre as receitas mensais do Varejo Restrito e Ampliado, divulgados pelo IBGE;

- Participação do E-Commerce por Categoria de Produto: é a proporção de receita mensal de vendas por categoria de produto em relação ao total do e-commerce no Brasil.

O relatório com o indicador de penetração dos consumidores na população de internautas do Brasil tem periodicidade trimestral, sendo que a informação da quantidade de consumidores é obtida pelo registro de dados da ClearSale e a população de internautas é uma estimativa com base na última divulgação da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios – PNAD, IBGE e nos relatórios da Pesquisa de Tecnologias de Informação e Comunicação – TIC, Cetic.br.

Foi utilizado o conceito de Varejo Restrito² e Ampliado³ definido pela Pesquisa Mensal do Comércio -PMC, IBGE. Para efeito de comparação, os índices mensais divulgados pela PMC foram convertidos em receitas de vendas (em R$)   e a distribuição da receita operacional líquida do Comércio Varejista e de veículos e peças, de acordo com os dados divulgados pela Pesquisa Anual do Comércio de 2014 - PAC,  do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. A conversão dos índices do comércio varejista em valor de receita de vendas (R$), possibilitou o cálculo da razão entre os valores do E-commerce e do comércio Varejista.

A classificação dos produtos por categorias Varejo Restrito² e Ampliado³ foi feita com base na definição de categorias da Pesquisa Mensal do Comércio – PMC, IBGE nas seguintes composições:

Composição do Varejo Restrito² (8 atividades):

- Combustíveis e lubrificantes;

- Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo;

- Tecidos, vestuário e calçados;

- Móveis e eletrodomésticos;

- Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos;

- Livros, jornais, revistas e papelaria;

- Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação;

- Outros artigos de uso pessoal e doméstico.

 

Composição do Varejo Ampliado³ (10 atividades):

- Combustíveis e lubrificantes;

- Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo;

- Tecidos, vestuário e calçados;

- Móveis e eletrodomésticos;

- Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos;

- Livros, jornais, revistas e papelaria;

- Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação;

- Outros artigos de uso pessoal e doméstico;

- Veículos, motocicletas, partes e peças;

- Material de Construção.

 

Utilizando-se das composições do Varejo Restrito² e Ampliado³ da Pesquisa Mensal do Comércio, IBGE, foram classificadas as categorias de produtos da Neotrust   e calculadas as participações de cada ramo de atividade no total do varejo online.

 

2- Índice de Comércio Varejista - Índice-síntese das atividades investigadas na Pesquisa Mensal do Comércio – PMC IBGE, cujas receitas provêm preponderantemente da atividade do varejo;

 

3 - Índices de Comércio Varejista Ampliado - Índice-síntese dos grupos de atividades que compõem o varejo e mais os segmentos de “Veículos e motocicletas, partes e peças” e de “Material de construção”.

Tipo de operação estatística

 

A Neotrust utiliza as informações de compras online e faz um tratamento estatístico para projeções mercadológicas, bem como a classificação conforme suas características temporais e regionais. A unidade de observação considerada é sempre um grupo populacional e não o indivíduo.

O tratamento estatístico tem início a partir do processamento de cada pedido online correspondentes ao mesmo período (hora, dia, mês e ano) de referência. Simultaneamente a esta etapa, dá-se o processamento da primeira análise dos dados, denominada crítica

 

2- Índice de Comércio Varejista - Índice-síntese das atividades investigadas na Pesquisa Mensal do Comércio – PMC IBGE, cujas receitas provêm preponderantemente da atividade do varejo;

 

3 - Índices de Comércio Varejista Ampliado - Índice-síntese dos grupos de atividades que compõem o varejo e mais os segmentos de “Veículos e motocicletas, partes e peças” e de “Material de construção”.

 

Estatística automatizada: esta crítica consiste em identificar as observações discrepantes e inconsistentes, a partir de critérios objetivos, substanciados em procedimentos e ferramentas estatísticos. O critério exclui, de forma automática, os valores considerados muito atípicos e aponta outros para serem avaliados.

Após essa etapa de tratamento estatístico, os dados são processados em uma estrutura de dados ou, cubo de dados, que agrega as medidas pelos níveis e hierarquias de cada uma das dimensões. Os cubos combinam várias dimensões (como tempo, geografia e produtos) com dados sumarizados, que possibilita as análises multidimensionais.

Periodicidade da divulgação

 

A periodicidade de divulgação é mensal para:

  • Índices de vendas online

  • Receita e tíquete médio dos indicadores relacionados ao consumo varejista.

 

Abrangência geográfica

 

Nacional e Regiões.

 

População alvo

 

A população alvo dos Índices e Indicadores é representada pelos consumidores online residentes no Brasil que realizaram, no mínimo, 1 compra no período.

 

Observações

 

Os índices do mês poderão ser alterados na divulgação do mês subsequente, em virtude de retificações nos dados primários por parte dos informantes dos registros de vendas ou por parte das fontes externas (IBGE, Cetic.br).